Saiba mais sobre as atividades de Engenharia Civil

projeto arquitetônico ousado
[Residência com traçado moderno – Imagem: OLX]



O projeto arquitetônico dá forma e vida à edificação. É de fundamental importância que os demais projetos complementares levem a sistemas eficientes e seguros, mas é no arquitetônico que os projetos começam, e é com ele que os usuários de edificações mais terão contato.

Para elaborar um bom projeto arquitetônico, é preciso ir além do atendimento às normativas municipais, estaduais e federais. É preciso interagir com a realidade do futuro usuário, saber captar suas necessidades e seus gostos, equilibrando-as com requisitos funcionais e construtivos.

É também por meio do projeto arquitetônico que se pode ter uma edificação mais sustentável. Na elaboração do projeto, o projetista precisa levar em consideração a posição geográfica do terreno de implantação. Por outro lado, o engenheiro civil ou arquiteto necessita prever elementos construtivos que dificultem o surgimento de problemas sérios como manifestações patológicas., bem como solicitar ao seu cliente quais são seus planos futuros para edificação, visando adequá-la a realidade atual e futura.
torneira pingando
[Torneira de Jardim – Imagem: Verde Capital]



O projeto de instalações hidráulicas determina o abastecimento nos diferentes cômodos com pontos de água. Dependendo das necessidades e interesse de quem for edificar, deverão ser feitas prumadas exclusivas para diferentes sistemas de abastecimento, como água fria potável, água potável aquecida e água pluvial tratada.

Neste projeto deve-se prezar pela potabilidade da água, pela facilidade de manutenção do sistema como um todo, incluindo a limpeza da caixa d’água e registros individualizados por cômodo.
Tubulações de esgoto
[Instalações sanitárias – Imagem: Amplitude Engenharia]



O projeto de instalações sanitárias objetiva a coleta de dejetos e a sua destinação, que pode ocorrer por meio de um mecanismo interno ao terreno, ou através da ligação com rede pública coletora, que pode dispor de tratamento posterior.

O sistema de coleta deve prezar pelo adequado escoamento, evitar a propagação de maus odores e permitir adequada manutenção. Esta manutenção deverá ser realizada anualmente, assim como no sistema hidráulico.
Calhas residenciais
[Condução de águas pluviais – Imagem: Silva Calhas]



O Projeto de Águas Pluviais, sem reaproveitamento desta água, busca direcioná-la para locais mais distantes da edificação, reduzindo efeitos no solo adjacente às fundações, respingamentos e empoçamentos. Para isso, é dimensionado um sistema incluindo calhas, condutores verticais fechados (sempre), e condução horizontal (sob o terreno) com caixas de areia.

As águas pluviais, neste sistema, são direcionadas ao coletor público. Mesmo que este seja um sistema unitário (águas pluviais + esgoto), não deve ocorrer o despejo de águas pluviais no sistema residencial de esgoto (fossa e filtro), o que poderia reduzir sua eficiência.
Construção Sustentável
[Sistema de utilização de águas pluviais – Imagem: UOL Casa e Decoração]



O Projeto de Águas Pluviais, com o reaproveitamento das mesmas, ocorre de forma diferente do projeto convencional. Há dispositivos e sistemas extras a serem dimensionados, como um elemento de descarte de águas iniciais, cisterna, bombeamento, reservatório superior e prumadas exclusivas para uso de água pluvial, após seu tratamento.

De acordo com a legislação brasileira, a água pluvial pode ser utilizada para fins em que não seria exigível o uso de água potável, como em torneiras de jardim e vasos sanitários. Quando a água pluvial reservada é insuficiente, o abastecimento ocorre normalmente com água da concessionária.
tomada com três pinos padrão brasileiro
[Tomada elétrica – Imagem: Techtudo]



O projeto de instalações elétricas pode ser realizado por engenheiro civil, no contexto de edificação residencial unifamiliar (até um limite de 75 kW de potência instalada). Neste projeto, serão determinados pontos de utilização, tomadas de uso exclusivo (como ar condicionado e chuveiro), circuitos, bitolas de fios/cabos elétricos e condutores, posicionamento e distribuição de fases em quadro de distribuição.

Devido à complexidade do projeto, é recomendável a execução por profissional capacitado. Outros fatores afetam a execução, como a quantidade de fios/cabos previstos para cada eletroduto, e sua inserção de uma única vez.
TV Digital
[Cabo Coaxial – Imagem: Aprenda CFTV]



Este projeto, realizado em paralelo ao projeto de instalações elétricas, consiste na definição de pontos de atendimento a ligação de telefone fixo. Também são determinados os pontos interno e externo à edificação onde serão instalados os pontos de interfone.

A definição de pontos de TV atende a uma demanda mais antiga por instalações residenciais que dispusessem de pontos adequados à ligação com antenas externas para utilização de serviços de TV via assinatura. Atualmente, tornou-se projeto fundamental a qualquer edificação a ser construída, em função do sistema brasileiro de televisão digital.

O projeto de instalações lógicas pode ser realizado por engenheiro civil, no contexto de edificação residencial unifamiliar (até 75 kW de potência instalada).
Projeto Geométrico de Rodovia
[Representação de curva horizontal – Imagem: Topografia Geral]



Semelhantemente ao projeto arquitetônico para edificações, o projeto geométrico define a forma de uma estrada ou rodovia. Para isso, são utilizadas informações topográficas, dados de estudo de tráfego e função prevista para a via a ser construída ou duplicada.

A estrada ou rodovia é um ente tridimensional. Esta característica é levada em consideração ao longo do projeto, porém o mesmo é desmembrado em vistas bidimensionais, considerando um traçado sobre projeção plana horizontal, um corte em um plano fictício passante pelo eixo da via (greide) e seções transversais equidistantes.
via asfaltada
[Rodovia com pavimentação asfáltica – Imagem: Além da Inércia]



O projeto de pavimentação subdivide-se em duas partes – a determinação de camadas e espessuras de um conjunto de materiais que, atuando em conjunto para resistir às cargas solicitantes, compõem o pavimento; e a definição de características do revestimento, como o teor de ligante, quando o revestimento for do tipo asfáltico.

Além de revestimento asfáltico, pavimentos podem ser revestidos por placas de concreto, blocos intertravados de concreto ou paralelepípedos de rocha. Considerando características como drenagem ou reutilização de material posterior, pavimentos intertravados de concreto e asfálticos com revestimento drenante estão entre as melhores opções atuais.
Interseção em diamante nos EUA
[Interseção do tipo diamante – Imagem: EngenhariaCivil.Com]



A união em um ponto comum entre duas vias é denominada interseção rodoviária. Em função de haver um conflito entre fluxos que se utilizam de um mesmo espaço para seguir seus trajetos, ou desejem a mudança de via, é necessário definir, por meio de projeto, uma solução geométrica para adotar nessa união.

Esta solução irá depender de um estudo de tráfego, um nível de serviço desejado para a interseção e dos tráfegos existentes nas vias interceptantes. De menores para maiores tráfegos, podem ser adotadas soluções em um mesmo nível (como rotatórias e semaforizadas) ou em mais de um nível (como viadutos, interseções direcionais, trevos, dentre outros).
Bueiro de greide associado a dissipador de energia e caixa coletora
[Bueiro de greide associado a dissipador de energia e caixa coletora – Imagem: Monteiro Sales Engenharia]



Um projeto de drenagem de rodovias busca destinar adequadamente as águas advindas de escoamento superficial, bem como aquelas oriundas do nível de água subterrâneo. O correto direcionamento de águas busca manter a estabilidade do corpo estradal e a segurança operacional da rodovia, evitando efeitos como a aquaplanagem.
Planejamento e orçamentação
[Orçamento – Imagem: Organize seu dia]



O orçamento de uma obra consiste em atividade complementar aos projetos realizados para uma edificação ou rodovia, dependendo da realização dos mesmos. Com base nos projetos, são determinados serviços e quantidades. Por fim, são utilizadas composições unitárias da empresa ou valores fornecidos por tabelas como TCPO (Tabela de Composições de Preços para Orçamentos – Editora Pini), SINAPI (Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil - Caixa) ou SICRO (Sistema de Custos Referenciais de Obras – DNIT).

Outra modalidade de orçamento consiste na utilização do CUB (Custo Unitário Básico), que consiste em um custo de execução por metro quadrado de obra, segundo um padrão construtivo. Entretanto, é preciso ficar atento, pois esta modalidade não abrange todos os serviços realizados em uma obra de construção civil, exigindo orçamento complementar.
Uso de estação total
[Trabalho com uso de estação total – Imagem: Archiproducts]



Conhecer o terreno a implantar uma edificação é de grande valia para a elaboração de projetos de Engenharia. Dentre as informações básicas para projeto está o levantamento planialtimétrico, que fornece cotas verticais, que dão origem a um sistema com curvas de nível, e coordenadas/ângulos da projeção em um plano horizontal dos limites de um terreno. O levantamento planialtimétrico necessita ser realizado com o uso de equipamentos especiais, como as estações totais.

Entretanto, para algumas finalidades legais, apenas a projeção plana dos limites da edificação, amarrada ou a um sistema de coordenadas, ou dentro de um sistema de setor/quadra/lote e endereço, pode ser necessária. Neste caso, temos as plantas de localização, que também podem integrar um projeto arquitetônico.
Regularização de imóveis
[Documentação em dia, e tudo certo! – 
Imagem: Cooperativa Habitacional Primeira Casa]


Dentro de cada prefeitura municipal, há um setor específico onde ocorre o cadastro de imóveis. Com as informações das edificações, pode-se definir, de maneira mais adequada, como está ocorrendo a ocupação do espaço urbano.

Em função de novas necessidades, ou pelo desejo de maior conforto e espaço, os proprietários de edificações urbanas realizam ampliações e/ou reformas. Por questões de planejamento urbano, e ainda por requisitos fiscais, a edificação torna-se irregular se não houver comunicação à prefeitura das alterações.

Dentro dos procedimentos legais para regularização, está a apresentação de um projeto de regularização, específico para este fim. Nele, deverão ser descritas as características construtivas da edificação no momento de elaboração, como prever possíveis ajustes para atendimento de exigências legais.
Venda ou aluguel de imóveis
[Vende-se, aluga-se, faz-se algo... – Imagem: Direito Com]



O valor de um imóvel consiste em uma quantia, em unidades monetárias, correspondente a este bem. Oferta e procura, necessidade por parte de possíveis compradores, dentre outros fatores, interferem no valor. Preço, por sua vez, é uma quantia pela qual se realiza a compra de um bem imóvel, a transação comercial. Em condições normais, é esperado que o preço tenda a se aproximar do valor, mas interesses dos atores envolvidos (vendedor, comprador, corretores, imobiliária e demais) podem gerar distorções.

Em algumas condições, como questões judiciais, é necessária a determinação do valor de um bem imóvel. Para isso, é necessário proceder segundo alguns métodos científicos, sendo competência de profissional habilitado (Engenheiro Civil).

Computer Aided Design - Example
[Aplicativo CAD – Imagem: Render Cursos]



O CAD, do inglês Computer Aided Design, ou Desenho Assistido por Computador, é o nome genérico dado a softwares que auxiliam em projetos de Engenharia. Possuem enormes potencialidades, entretanto, muitas vezes são utilizados na forma de pranchetas eletrônicas.

Na prática de projetos, onde cada vez mais há sistemas diversos dentro de um mesmo edifício, são diferentes profissionais solicitados, que deverão, em cima de um projeto arquitetônico, desenvolver seus projetos complementares. As ferramentas baseadas em CAD possuem limitações nesta forma de trabalho, e a tarefa da compatibilização pode ser árdua.

Com uma filosofia mais adequada à compatibilização, seja entre projetos complementares, seja entre plataformas computacionais, surgiu a BIM – Building Information Modelling – que consiste em um conjunto entre produto, ferramenta e processo, segundo alguns pesquisadores. O produto é um modelo digital da construção, onde ela é reproduzida como construída e, entre disciplinas, precisam ser compartilhadas informações úteis aos demais projetos além do arquitetônico. Ao modelo digital é incorporado um banco de dados. Como ferramenta, consiste em um conjunto de softwares adequados à modelagem BIM e que permitam a transmissão de dados entre eles, evitando repetições. E como processo consiste na mudança na concepção dos projetos, com realização simultânea e maior agilidade no produto final.
Operação aeroportuária
[Operação Aeroportuária – Imagem: Na Casa da Ana]


O Planejamento aeroviário envolve diferentes aspectos, relacionados ao entorno dos sítios aeroportuários, das instalações que compõem os aeródromos/aeroportos e aspectos relacionados à operação aeroportuária, como projeções de demanda futura, ampliações de capacidade e/ou restrições de utilização.

Aeroportos preferencialmente não deveriam estar inseridos no contexto urbano, tampouco próximos de atividades que venham a provocar o acúmulo de aves e outros animais. A operação aeroportuária pode sofrer restrições como deslocamentos de cabeceira em função da instalação de edificações de grande porte no entorno de sítios aeroportuários, ou ainda sofrer interferências em função dos efeitos de ruído provocados nas proximidades.

Aeroportos representam um importante investimento em infraestrutura de transporte, principalmente em regiões de difícil acesso, situação frequente na região Norte de nosso país, o que justificou políticas públicas buscando o crescimento da aviação regional no Brasil.
Vantagens de contratar Engenheiro Civil
[Engenheiro Civil em atuação – Imagem: Nossa Engenharia]



Os profissionais de Engenharia Civil e Arquitetura atuam em atividades de diferente porte na construção civil. Tradicionalmente, em função dos custos e da tecnologia aplicada, são contratados para edificações comerciais de médio e grande porte, bem como residenciais multifamiliares. Mas, mesmo nas edificações de menor porte, a presença de um Engenheiro Civil pode fazer a diferença.

Com seu conhecimento técnico, os diferentes sistemas que compõem a edificação irão apresentar compatibilidade entre si, atender aos requisitos de uso dos proprietários atuais e/ou futuros e garantir a segurança de utilização, se bem executados. Também podem orientar a construção segundo princípios que evitem o surgimento de manifestações patológicas no futuro, como o descolamento de placas cerâmicas, por exemplo.

A busca por construções mais sustentáveis também passa pelo trabalho de Engenheiros Civis e Arquitetos. De acordo com suas escolhas, uma edificação pode apresentar maior eficiência energética e aproveitar melhor a insolação e ventilação naturais. Na execução, promovem benefícios como a diminuição de conflitos e, havendo ideia real do que executar, desperdícios de materiais e mão de obra podem ser reduzidos.

Construção Sustentável
[Construção Sustentável – Imagem: Madri Engenharia]



A sustentabilidade consiste em utilizar os recursos disponíveis de modo a satisfazer as necessidades atuais sem comprometer a capacidade futura de suprimento, baseando-se em princípios econômicos, ambientais e sociais. Tornou-se muito comum associar a esfera ambiental ao conceito de sustentabilidade, que é muito mais amplo.

Por outro lado, a construção civil é um dos setores que mais consome recursos naturais do planeta, e um dos que mais os desperdiça. Atuar em busca de sustentabilidade sem passar pela construção civil seria, no mínimo, inadequado.

A Engenharia Civil pode intervir, de modo a produzir construções mais sustentáveis, de duas formas: através de melhorias na concepção de projetos e escolha de materiais construtivos, ou na definição e inserção de novas tecnologias ou sistemas que tornem uma construção mais sustentável. Não menos importante está o cuidado com as etapas de execução e utilização posterior pelo usuário.

No primeiro grupo de intervenções, pode-se citar o posicionamento de esquadrias e cômodos segundo iluminação e insolação, definição de materiais e componentes de maior durabilidade (ou que apresentem melhores relações de energia embutida), dimensionamento de brises, dentre outras.

Já no segundo grupo, podem ser citados sistemas de captação de reutilização de águas pluviais, pré-dimensionamento de sistemas de energia solar fotovoltaica (dimensionamento e instalação são feitos por empresas especializadas), equipamentos economizadores, telhados verdes, dentre outras soluções.

Desenvolvimento do conhecimento
[Conhecimento – Imagem: FormacioOnline]



A Construção Civil, assim como outras áreas, evoluiu a partir da experimentação em campo. Experiências adquiridas com o passar dos anos foram utilizadas como base para novas construções, sendo transmitidas de geração para geração. Com o advento da indústria, a partir da primeira fase da Revolução Industrial, cada vez mais o conhecimento técnico-científico passou a caminhar dentro de princípios e uma metodologia própria. Não foram abandonadas experiências anteriores, mas a construção do conhecimento deixou de ser algo puramente empírico.

Na atuação do Engenheiro Civil, são utilizados conhecimentos teóricos (técnico-científicos) em aplicações reais, na forma de projetos ou outras atividades. Ou ainda, o Engenheiro Civil pode contribuir, por meio da pesquisa científica, para a construção de novos conhecimentos ou o desenvolvimento de tecnologia, que podem vir a ser aplicados por outros profissionais.

A pesquisa acadêmica, através de trabalhos realizados em graduação e pós-graduação (mestrado, doutorado e outros), trabalha no desenvolvimento da Engenharia Civil como ciência. Este ramo pode representar um segmento de atuação para Engenheiros, na forma de professores universitários e pesquisadores.


Conselho Regional de Engenharia e Agronomia
[Logo CREA – Imagem: Sheltermar]



O CREA – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – é a entidade que fiscaliza a atuação profissional de diferentes categorias, dentre elas a dos Engenheiros Civis. Para a devida atuação legal, é necessário possuir registro no órgão, e declarar junto ao mesmo a responsabilidade técnica sobre uma dada obra ou serviço. Em suas atividades de fiscalização, o CREA confere se atividades de Engenharia estão sendo realizadas por profissional habilitado.

A indicação de responsabilidade técnica se dá por meio de um documento, a ART – Anotação de Responsabilidade Técnica. Nela, são indicados os serviços de Engenharia a serem prestados pelo profissional (dentro de suas atribuições), dados do contratante e profissional. Após o registro de ART, o profissional tem sua experiência profissional registrada, podendo ser recuperada dentro de um acervo técnico, com base em seus registros de ART.